A Infinita Corrida Pelo Lucro Máximo

O filosósofo Schumpeter deu o significado definitivo para inovação: dinheiro no bolso! Nova tecnologia? Novo produto? Nova funcionalidade? Novo design? Sem retorno financeiro nada disso é inovação.

poliflor cera autobrilho

A palavra de ordem hoje no mundo é INOVAÇÃO, não se fala outra coisa dentro das corporações. É muito mais discurso do que prática, mas não vou falar agora de quem apenas está interessado em impressionar seus stakeholders, vou falar de um produto de uma empresa que contrata um bom contingente de cientistas e é de um segmento que tem uma rede externa de inovação: Cera Autobriho POLIFLOR.

Produzido pela Reckitt Benckiser do Brasil (aka RB), a Cera Autobrilho Poliflor está desfrutando de estável posição no mercado há anos, com os “sabores” preferidos pelo público já eleitos, uma verdadeira vaca leiteira da RB.

Mas na infinita corrida pelo lucro máximo surge aquela pergunta: como aumentar o faturamento do produto?

Imagino que foram diversas ondas de brainstorms e discussões. Devem ter sugerido alteração da fórmula, uso de ingredientes mais econômicos, promoções e campanhas para o distribuidor e/ou consumidor final, mas nas prateleiras está a vitória da simplicidade, que é a eliminação do cabo da embalagem da cera. Na imagem abaixo estão os dois modelos, o novo na esquerda e o antigo (com alça) mais atrás na direita:

poliflor antes e depoisUm bom pedaço da embalagem foi suprimido, economizando milhões de reais sem alterar o produto nem fazer investimento na fase de maturidade do seu ciclo de vida, o que deve gerar aumento de receita. Simples e genial. (E o consumidor que se vire para manusear o produto se não tiver mão de jogador de basquete)

Este é bom exemplo de como aumentar receita cortando custos, pois o produto tem a posição consolidada na categoria e a economia obtida com essa nova embalagem vira lucro para a empresa e não vantagem para o consumidor. Pense nisso.

Obrigado pela sua colaboração