Quem vê cara (do marketing) não vê coração (da empresa)

O principal desafio da Oi em São Paulo é tentar esconder atrás do rostinho bonitinho com que chegou na região toda a sua podridão pelo maior tempo possível antes de cair na vala comum do setor.

O Grupo Telemar era uma colcha de retalhos que encampou uma penca de telefônicas do antigo sistema Telebrás do Rio de Janeiro ao Acre no leilão de privatização das telecomunicações em 1998. Compunham o Grupo Telemar as empresas: Tele Norte Leste, Telemar Participações e Telemar Norte Leste. Isso só na telefonia fixa. Com o passar dos anos, aquele mapinha coloridinho da Anatel começou a borrar com as mexidas do mercado, lançamento das espelhinhos, spin-offs e M&A’s das móveis. Nesse bolo todo a Telemar lança a Oi, companhia de telefonia móvel com a marca dissociada da “mãe”.

Sem bala na agulha, a pequena Oi investiu a verba que tinha em marketing ao invés de subsidiar aparelhos como é o hábito do segmento e conquistou a simpatia da população vendendo apenas chips baratos e desbloqueando aparelhos de outra operadoras.

oi Para sobreviver e prosperar a Telemar tentou diversas restruturações mas uma encarniçada briga societária com os minoritários impediu mudanças relevantes. Com o sucesso da marca Oi na telefonia móvel a Telemar começou a usá-la como extensão de marca para seus novos produtos e posteriormente a rebatizar os antigos também como Oi. Assim a imagem problemática e ineficiente da Telemar foi ficando para trás dando lugar paras os atributos de inovação, ousadia e atitude da Oi. Lógico que por trás dessa fachada colorida ainda tem muita porcaria, uma busca simples na internet já derruba essa casinha de Cícero.

Após a repaginação de imagem a Telemar, digo a Oi, teve que investir na Brasil Telecom para não ser comprada por ela, mas como a transação fere a lei federal as empresas estão aguardando a reformulação do Plano Geral de Outorgas para oficializar a aquisição. Repetindo: essa transação é ilegal, o governo vai mudar a lei para beneficiar o negócio. O problema é que depois vai ter que abrir as pernas para os outros competidores também, mas isso é outro assunto...

Após meses criando expectativas, a Oi finalmente começa a operar em SP fazendo a mesma coisa que as demais operadoras fazem. Na peça publicitária ela diz que vem se diferenciar da mesmice colossal do mercado, bullshit! A sua promoção “fale grátis” Oi para Oi é mesma do Tim para Tim, Vivo para Vivo ou Claro para Claro; ligações para fixos também já é carne de vaca, mas onde o bicho pega ela tem tarifa de mercado: interconexão com outras operadoras. Depois virá a estorinha do 3G, o pacote de dados, o modem para notebook… Só vai faltar o iPhone. Resumindo: mais do mesmo!

Dia 24 de outubro é data oficial da estréia, vamos ver quanto tempo a Oi demora para começar a aparecer no ranking de reclamações do PROCON SP, a casa de TODAS as empresas de telefonia.

Obrigado pela sua colaboração