Red Bull: a mensagem vale mais que o meio só quando ela controla o inteiro

Na mesma semana que a marca Red Bull foi Case Report do jornal Meio & Mensagem aqui no Brasil com destaque que na sua filosofia “a mensagem vale mais que o meio” lá fora eles demonstram que a mensagem, na verdade, vale mais que qualquer outra parte e pressionou um blogueiro-advogado-da-marca a fechar o seu blog, uma plataforma de divulgação espontânea da marca, o The Red Bullog.

No breve período de seus meses de vida do site o blogueiro Dank não só agregou dezenas de notícias dos pilotos de Fórmula 1 patrocinados pela Red Bull como saiu divulgando-as pelas comunidades de aficionados do esporte mundo afora. Porque será que a empresa não quis mais brincar de web 2.0?

Red_Bull___Illustration_by_Neimad_Design E agora o que você me diz, Mr. Stefan Kozak? A Red Bull não se importa com o meio desde que controle o inteiro? Essa é a forma verdadeira e concreta em que vocês alimentam os seus valores?

Eu não li o jornal, só tomei conhecimento dos trechos postados no Blog de Guerrilha, mas pelo tom do Gustavo Fortes eu acredito que não falaram dos ‘desacertos’ da Red Bull. Só para ficar na Fórmula 1, assunto que conheço um pouquinho, não dá para entender como eles gastam rios de dinheiro com duas equipes na categoria e são mencionados apenas pelas siglas RBR (de Red Bull Racing) e STR (de Scuderia Toro Rosso). Gastam uma fortuna para expor o logotipo gigante e depois tem que ficar criando ações para ligar o nome ao desenho. E quando aparece um voluntário para fazer esse trabalho ele é repreendido, vai entender…

Obrigado pela sua colaboração